Edson-Fachin.AP_438403.jpg

 

Ministro do STF, que assumirá a presidência do TSE na semana que vem, disse ao jornal O Estado de S. Paulo que a Justiça Eleitoral já pode estar sob ataque de hackers

 

O ministro do Supremo Tribunal Federal Edson Fachin disse nesta terça-feira, 15, que a Justiça Eleitoral “já pode estar sob ataque de hackers” e citou a Rússia como a origem da maior parte dessa ofensiva. Em entrevista ao jornal O Estado de S. Paulo, Fachin, que assumirá a presidência do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) na semana que vem, afirmou que a preocupação com o ciberespaço se avolumou imensamente nos últimos meses. “E eu posso dizer a vocês que a Justiça Eleitoral já pode estar sob ataque de hackers, não apenas de atividades de criminosos, mas também de países, tal como a Rússia, que não têm legislação adequada de controle”, afirmou.

Na entrevista, o ministro disse também que é hora de endurecer com o Telegram para evitar que a plataforma seja usada na campanha eleitoral para difundir informações falsas. Ele se referia ao fato de não ter obtido nenhuma resposta do serviço de mensagens instantâneas aos reiterados contatos do TSE. Contudo, Fachin disse que ainda vai aguardar uma posição do Congresso para restringir a atuação de redes sociais que não têm representantes no País. “O mundo não virou planeta sem lei.”

Ao observar que o Brasil terá o maior teste das instituições democráticas nas eleições de outubro, Fachin destacou que o slogan de sua gestão no TSE será “paz e segurança nas eleições”, ressaltando que o “populismo autoritário” não tem mais espaço no país.

Fonte: https://www.cisoadvisor.com.br/fachin-cita-russia-em-alerta-para-cibercrimes-durante-eleicoes/