oblock logo

Como a CrowdStrike usa Inteligência Artificial na proteção de endpoints

À medida que o cenário de ameaças se torna cada vez mais complexo, a adoção da inteligência artificial na cibersegurança se torna essencial. A CrowdStrike é líder e pioneira na incorporação da IA para proteção de endpoints, utilizando-a para fortalecer as capacidades do CrowdStrike Falcon

Neste artigo, nós vamos detalhar como a CrowdStrike usa a inteligência artificial para identificar ataques e maximizar a proteção de endpoints. Confira!

Principais tópicos deste artigo

Principais usos da IA na proteção de endpoints da CrowdStrike

A plataforma da CrowdStrike utiliza a inteligência artificial de forma abrangente para combater ataques sofisticados, analisar telemetria com rapidez e escala e automatizar tarefas repetitivas. 

1. Combate ameaças a endpoints com base em Indicadores de Ataque

A IA é fundamental para a detecção e prevenção de ataques avançados a endpoints, analisando os chamados “Indicadores de Ataque” (IOAs).

Indicadores de ataque são sequências de eventos que indicam que uma ameaça está ativa ou em progresso, tentando violar o sistema. Por exemplo, execução de código, persistência e movimentação lateral pela rede. 

A CrowdStrike é pioneira nessa abordagem para proteção de endpoints, usando inteligência artificial para identificar esses comportamentos maliciosos e padrões suspeitos. Assim, se diferencia dos antivírus tradicionais, que atuam comparando ameaças com um banco de assinaturas já conhecidas. 

Essa abordagem permite uma resposta rápida e precisa, e torna o CrowdStrike Falcon altamente eficaz na detecção de ameaças avançadas, mesmo as que nunca foram vistas antes.

2. Análise de telemetria com rapidez e escala

Com a quantidade crescente de dados gerados pelos endpoints, é essencial ter uma capacidade robusta de análise de telemetria em escala. 

A IA desempenha um papel crucial nesse processo, permitindo que a CrowdStrike processe e analise grandes volumes de dados em tempo real. 

Através do aprendizado de máquina e da análise de padrões, a IA pode identificar atividades suspeitas, correlacionar eventos aparentemente desconexos e fornecer insights valiosos sobre as ameaças em evolução.

Tudo isso, claro, contribuiu para uma proteção de endpoints ainda mais eficiente e assertiva.

Ilustração mostrando proteção de endpoints

Proteja seus endpoints com a Crowdstrike

3. Automação de tarefas repetitivas de cibersegurança

Outro benefício importante da IA na plataforma da CrowdStrike é a automação de tarefas repetitivas. 

A inteligência artificial pode lidar com atividades rotineiras, como triagem de alertas, classificação de ameaças e investigação preliminar.

Isso permite que os analistas de segurança se concentrem em tarefas de maior valor, como análise de ameaças mais complexas e tomada de decisões estratégicas. 

Além disso, a automação impulsionada pela IA também acelera o tempo de resposta, permitindo que as organizações enfrentem ameaças cibernéticas de maneira mais eficiente e eficaz.

4. Assistente virtual: CrowdStrike introduz a Charlotte AI

A CrowdStrike anunciou recentemente a Charlotte AI, uma analista de segurança baseada em inteligência artificial generativa. 

Ela funciona como uma assistente virtual, fornecendo orientações, recomendações e insights em tempo real, com base em dados coletados e analisados pela plataforma CrowdStrike. 

Por exemplo, pode responder perguntas simples e diretas, como: “Temos alguma ameaça no momento envolvendo o Microsoft Outlook?”. Ao mesmo tempo, compreende contextos e cenários complexos.

Ao colaborar com a equipe humana, a Charlotte AI ajuda a acelerar a investigação e a resposta a incidentes, fornecendo informações relevantes, identificando conexões entre eventos aparentemente não relacionados e sugerindo ações mitigadoras.

Por enquanto, a Charlotte AI está disponível apenas para preview privativo. Fique atento ao site da Oblock, pois anunciaremos aqui quando a novidade for disponibilizada para todos os clientes.

Combinação de IA e análise humana é o melhor combo para proteção de endpoints

Embora a IA seja uma ferramenta poderosa na detecção e prevenção de ameaças, ela não substitui completamente a análise e o julgamento humano. A combinação da inteligência artificial com a análise humana é o melhor combo para proteger endpoints de maneira abrangente.

Os analistas de segurança trazem conhecimento especializado e intuição, compreendendo as nuances das ameaças e adaptando-se a estratégias em constante evolução dos atacantes. Eles têm a capacidade de tomar decisões contextuais e aplicar experiência e insights exclusivos. 

Ao colaborar com a IA, os analistas podem aproveitar a automação e a velocidade da máquina, ao mesmo tempo em que aplicam sua expertise para interpretar resultados e realizar investigações aprofundadas.

A CrowdStrike entende essa sinergia entre IA e análise humana e busca fornecer soluções que unam o melhor dos dois mundos. O Charlotte AI é um exemplo dessa abordagem, permitindo que a IA potencialize a expertise humana, ampliando a capacidade de proteção contra ameaças cibernéticas.

Garanta a melhor proteção de endpoints com a Crowdstrike

Em um mundo digital cada vez mais interconectado, a proteção de dados e sistemas é essencial para o sucesso das empresas e a preservação da confiança dos clientes. 

A CrowdStrike, por meio de sua plataforma avançada e do uso estratégico da IA, oferece uma solução robusta que fortalece a postura de segurança cibernética das organizações, garantindo a proteção contínua de seus endpoints.

Fale com a Oblock, distribuidora oficial da CrowdStrike, e saiba mais!

Solicite um Free Trial do Falcon

Quer ver na prática como o Falcon atua? Solicite o seu free trial e ainda receba suporte técnico especializado desde o primeiro contato.

Receba Notícias

Artigos Mais Recentes